17 de maio de 2011

Encontros e Despedidas


Busco o sentido, busco o fundamento, a razão, a essência, a resposta... Muitos correm, trabalham, morrem sem meramente desfrutar se quer do seu tempo, morrem sem amar!
É como se a vida fosse uma estação, onde passa o trem. Os vagões são as fases da vida, as pessoas de cada vagão são as que vêm e as que vão nesta metáfora da vida.
A vida é assim, ficamos na estação. O que nos resta e apenas as lembranças daqueles que vêm e que vão.
O amor se torna tão relativo a ponto de nunca mais se ver quem se ama. Daí compreende-se que o amor é atitude, e se demorar a demonstrar, pode ser tarde demais.
A morte pode bater a sua porta, quando menos se espera... De uma forma inimaginável. Neste momento lágrimas não adiantaram o que nos resta e apenas dar o último olhar ao jardim que cultivamos ao longo da vida.
Neste momento temos horário marcado para adentrar no trem. Neste momento saímos da estação da vida, adentramos no vagão da morte. É o momento de despedida, das lágrimas, da dor. E quem na estação fica chora com a nossa ida.

4 comentários:

  1. =)
    saudadesss

    neste post você se superou!
    Acho que é porque hoje eu sei que tudo é de certa forma provisório, nada se repete, o trem não volta... ou voce curte a paisagem ou você se conforma em jamais ve-la navamente

    bjxxx

    ResponderExcluir
  2. Olá e ai como vai?
    Belo post.
    Idas e voltas nesta vida,desencontros e encontros...não tem como evitar.

    Beijos e tudo de bom
    ........................
    www.rimasdopreto.com

    ResponderExcluir
  3. E as vezes, esquecemos de encher as malas e ficamos vazios!

    ResponderExcluir
  4. a gente sempre vai, mas sempre deixamos um pedacinho com alguém. E vamos vivendo assim, montando um eterno quebra-cabeça de lembranças.

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar.

Beijos ;*